Nada de novo na Frente Eleitoral!

Crónica n.º 12 – Observatório das Eleições Brasileiras 2018
Por Renato Janine Ribeiro*

Haddad

Nada de novo na Frente Eleitoral! Mais uma semana se passou, e Bolsonaro, o candidato da extrema-direita que a mídia brasileira teima, ao contrário da imprensa internacional, em chamar de “direita”, atinge uns 60% das intenções de voto. Enquanto isso, seu adversário Fernando Haddad, civilizado, professor universitário, educador, patina nos 40%.

Nenhum dos candidatos que saíram da primeira volta, no espectro que separa a centro-esquerda de Haddad e a extrema-direita de Bolsonaro, deu apoio a Haddad. Somente Boulos, à sua esquerda, e Ciro Gomes, outro nome de centro-esquerda, o apoiaram. E Ciro o fez bem mais ou menos. Fernando Henrique Cardoso, embora cada vez mais isolado e mesmo desrespeitado no seu PSDB, que um dia quis ser social-democrata, prefere se colocar neutro. Continuar a ler “Nada de novo na Frente Eleitoral!”

Sobreviverá a democracia brasileira às eleições de 2018? – Síntese da intervenção de Pedro Bacelar de Vasconcelos

 bacelar1.jpg__580x0_q85_crop_subsampling-2_upscale

Síntese da intervenção de Pedro Bacelar de Vasconcelos* no Debate Fórum Demos: Sobreviverá a Democracia Brasileira às eleições de 2018?, realizado no passado dia 15 de outubro na Cooperativa Árvore:

Só faltam dez dias mas é ainda possível derrotar o candidato neofascista à presidência do Brasil. Para o conseguir, é preciso que muitos dos que votaram nele na primeira volta arrepiem caminho e decidam, no dia 28 de Outubro, votar em Fernando Haddad… ou, em alternativa, que optem por votar nulo ou em branco. Não há cinquenta milhões de neofascistas no Brasil. Muitos dos que votaram em Bolsonaro estão zangados com o PT e com as promessas que os seus governos deixaram por cumprir, estão exasperados com a insegurança que ameaça as suas vidas, estão cansados de uma corrupção endémica que a democracia veio expor de forma ainda mais flagrante e, claro, estão decepcionados com o fim de um ciclo de progresso inédito que permitiu aos Governos de Fernando Henrique Cardoso e de Lula da Silva tirar milhões de brasileiros da miséria mais extrema. Esta insatisfação não é uma singularidade brasileira. Bem pelo contrário! Só para enumerar os casos mais recentes, atente-se nos resultados obtidos pela extrema direita na Inglaterra, na América do Norte, na Áustria ou na Itália. Um antigo líder da KU-Klux-Klan, apoiante de Donald Trump e adepto dos “supremacistas brancos”, dizia sobre Jair Bolsonaro: – “Ele soa como nós”. Continuar a ler “Sobreviverá a democracia brasileira às eleições de 2018? – Síntese da intervenção de Pedro Bacelar de Vasconcelos”

Sobreviverá a democracia brasileira às eleições de 2018? – Síntese da intervenção de Álvaro Vasconcelos

Brasil

Síntese da intervenção de Álvaro Vasconcelos* no Debate Fórum Demos: Sobreviverá a Democracia Brasileira às eleições de 2018?, realizado no passado dia 15 de outubro na Cooperativa Árvore:

A violência de Bolsonaro!

A democracia brasileira corre um sério risco com a eventual vitória eleitoral do candidato da extrema-direita, antigo capitão do Exército, o medíocre Jair Bolsonaro, cujas declarações neo-fascistas faziam prever um esvaziamento rápido da sua candidatura.

Ele sozinho não seria nada, nem ninguém, mas encontrou apoio num conjunto de forças económicas e sociais interessadas em pôr termo à experiência social-democrata do Brasil, que foi iniciada na presidência de Fernando Henrique Cardoso e continuada pelas presidências do PT.

Impulsionam a sua candidatura os saudosistas do antigo regime militar, os sectores mais reaccionários dos evangélicos e os sectores económicos mais retrógrados. Continuar a ler “Sobreviverá a democracia brasileira às eleições de 2018? – Síntese da intervenção de Álvaro Vasconcelos”

Debate: Sobreviverá a democracia brasileira às eleições de 2018? – Síntese da intervenção de Marcela Uchôa

Debate Fórum Demos

Síntese da intervenção de Marcela Uchôa* no Debate Fórum Demos: Sobreviverá a Democracia Brasileira às eleições de 2018?, realizado no passado dia 15 de outubro na Cooperativa Árvore:

A  democracia  sobreviverá? 

Independente  deste  ato  eleitoral,  a  democracia  é  jovem,  precária  e  já  voltou  a  ruir  a  algum  tempo.  A  violência  contra  os  pobres,  indígenas,  mulheres  e  classe  trabalhadora  sempre  existiu  no  Brasil.  Houve  um  período  de  estabilidade  social,  de  acordos  transclassistas  do  PT,  que  parecia  poder  garantir  direitos  sociais,  ecológicos  e  políticos  para  a  população  negra,  trabalhadora,  indígena,  feminina  e  LGBT.  Mas  a  crise  rapidamente  acabou  com  essa  ilusão.  Ainda  era  no  governo  Dilma,  quando  se  começou  a  criminalizar  os  movimentos sociais  com  as  leis  antiterrorismo.  O  processo  do  impeachment,  os  julgamentos  arbitrários  no processo  contra  Lula  e  o  fracasso  da  investigação  à  morte  de  Marielle  Franco  demonstraram  o  fim  do  estado  de  direito  muito  antes  de  Bolsonaro  chegar  ao  poder.   Continuar a ler “Debate: Sobreviverá a democracia brasileira às eleições de 2018? – Síntese da intervenção de Marcela Uchôa”

Debate Fórum Demos: Sobreviverá a democracia brasileira às eleições de 2018?

Após mais um debate do Fórum Demos, desta vez dedicado ao tema das eleições brasileiras deste 2018, publicar-se-ão agora algumas das ideias partilhadas e posições discutidas.

O debate, moderado por Gonçalo Marcelo (Investigador no CECH da Universidade de Coimbra e Professor convidado na Católica Porto Business School), decorreu na Cooperativa Árvore, no dia 15 de outubro pelas 18H30 e contou com a intervenção de Marcela Uchôa (Doutoranda em Filosofia Política na Universidade de Coimbra em regime de cotutela com a Universidade Federal do Rio de Janeiro, Vice-Presidente da APEB Coimbra e Professora de Ética e Filosofia do Direito na Faculdade Cearense), Pedro Bacelar de Vasconcelos (Deputado e Presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias da Assembleia da República) e Álvaro Vasconcelos (Investigador Convidado IRI/USP, São Paulo 2014-2015; coordenador da obra ‘O Brasil nas Ondas do Mundo’).

No início, foi apresentado um pequeno vídeo com as declarações de Renato Janine Ribeiro (Professor de ética e filosofia política, cientista político e ex-ministro da Educação do Brasil – 2015), sobre a situação política do Brasil após a primeira volta das eleições, realizada no passado dia 7 de outubro.

O vídeo pode ser visto aqui ou, diretamente, na página do Youtube do Fórum Demos:

 

 

Bolsonaro parte na frente

Crónica n.º 11 – Observatório das Eleições Brasileiras 2018
Por Renato Janine Ribeiro*

mw-680Na quarta-feira, apenas três dias após um primeiro turno em que Jair Bolsonaro, o deputado de extrema-direita, teve 46% dos votos contra 29% de Fernando Haddad, as primeiras pesquisas – realizadas entre segunda e terça-feira – davam perto de 58% para o primeiro, contra uns 42% para Haddad. Mais grave que isso para os setores democratas, foram poucas as adesões dos candidatos derrotados ao ex-ministro da Educação de Lula. Continuar a ler “Bolsonaro parte na frente”

Há duas pequenas boas notícias…

Crónica n.º 10 – Observatório das Eleições Brasileiras, 2018
Por Renato Janine Ribeiro*

Haddad

Há duas boas notícias. A primeira é que Bolsonaro não se elegeu no primeiro turno. A segunda é que praticamente todos os eleitores de direita e do autointitulado centro que iriam passar para ele, já passaram. Para Alckmin, do PSDB que era o segundo ou terceiro maior partido do Brasil, ficar abaixo dos 5%, e para Marina, que nas duas últimas eleições poderia ter vencido, e teve 20% dos votos, cair a menos de 1%, é porque muitos de seus simpatizantes voaram para outros nomes, em última análise, para o próprio Bolsonaro. A hemorragia já ocorreu.

Porém, o resto são apenas más, péssimas notícias. Continuar a ler “Há duas pequenas boas notícias…”